Pax Intratibus

28.8.06

Abismo

A última medida "Pidesca" a que este Governo nos submeteu é de ficar a pensar se não estaremos a viver em 1949 ou carquejas. O Governo decretou que as nomeações para cargos do Estado, nomeadamente os tachos de acessores ministeriais e outros que tais, nos ficam vedadas ao nível do conhecimento. Porquê? Porque deixam de sair em Diário da República. E acabaram-se os escândalos com o excessivo número de nomeações, com os compadrios (já que não sabemos se o nomeado não é por acaso o futuro genro da pôrra do Ministro) e com os ordenados que estas inteligências iluminadas (só se for pela EDP) vão roubar ao Estado, a nós que fazemos os nossos descontos.
Que raio de sorte a nossa! Se a comunicação social (incluo aqui a Terra dos Blogues) não denunciasse estas situações aberrantes e que se constituem como verdadeiros atentados a nós cidadãos ordinários (no seu sentido primeiro, comuns), o Governo não se veria na obrigatoriedade de nos cercear o acesso a essa informação; por outro lado, se a comunicação social calasse estas verdadeiras afrontas, por certo que a situação atingiria limites do "arco da velha". Até estou a ver o periquito ou o hamster do filho do ministro com cargos de acessores. De novo o velho e esfarrapado por excesso de uso, "preso por ter cão e preso por não o ter". Só que a partir de agora a atenção do cidadão sai reforçada porque é de calcular que este tipo de nomeações atinjam nos tempos vindouros números que bradam aos céus.
Este é o País da Teoria, dos planos completos ou incompletos, das intenções marcadas pela falta de acções, das medidas urgentes metidas na gaveta porque o dinheiro faz falta para aquilo que não é nem de longe o mais importante. Os nossos direitos minguam a olho nu, os nossos deveres aumentam para que haja uma espécie de compensação. Dá vontade de emigrar para Plutão que ficou a saber há pouco tempo que já não é um planeta (será que o dito se importa com isso?), mas sim um planeta anão, sem direito a figurar na lista dos planetas que constituem o sistema solar. Isto não vos lembra algo? Sim! Certo! Nós somos o Plutão da U.E., estamos lá, todos sabem que estamos lá, mas nem contamos porque somos anões e assim permaneceremos enquanto vigorarem estas mentalidades minorcas, estes Governos improdutivos, esta cegueira e desinteresse por tudo o que nos pode levar à lista dos que contam! Assim, Plutão amigo, os Portugueses estão contigo. Porque é que não nos geminamos com Plutão? As similaridades são tantas! Tornemo-lo no nosso estandarte, no nosso exemplo. Ah! Plutão do nosso descontentamento. Se Shakespeare fosse vivo talvez não tivesse falado no Inverno do nosso descontentamento. Se Camões cá andasse por certo diria: "Mudam-se os tempos, permanecem as não-vontades" ou ainda o "Perdigão perdeu a pena" seria "Portugal perdeu a cena".

8 Comentários:

Enviar um comentário

<< Home


 
Free Web Site Counter
Free Counter