Pax Intratibus

12.4.06

São Judas Iscariotes


[Judas Iscariotes] ...A verdade, caro Yeshua, é que não acredito que jamais nos conduzas todos à Salvação. No entanto, em consequência de dizeres tudo o que dizes, os pobres ganharão coragem para se sentirem mais iguais aos ricos.

in "O Evangelho Segundo o Filho" de Norman Mailer .



Achei bastante a propósito esta frase que me pareceu sempre que poderia ter sido mesmo verdadeira, não obstante esteja inserida no Romance acima citado. Vem isto a propósito dos manuscritos vindos a público há pouco tempo e que já se designam pelo Evangelho de Judas. A Igreja Católica (como sempre) fecha-se em copas nada querendo comentar apenas reafirmando que Judas Iscariotes não estava possuído pelo Demónio quando entregou Jesus. Então se não estava, estaria possuído por Deus para cumprir uma missão importantíssima, quiçá a mais importante de todos os Apóstolos.
Quem se lembraria de Jesus Cristo se não fosse a sua entrega, o seu sacrifício ao morrer na cruz (coisa em que os Cavaleiros Templários nunca acreditaram, daí darem tão pouca importância ao crucifixo)? Quem nos proporcionou então esta lembrança senão Judas, o injustamente apelidado de traidor. Ao que tudo indica, quando Jesus o escolheu como Apóstolo já sabia qual iria ser a sua missão no interior do seu ministério. Não será no mínimo curioso que fosse Judas a guardar o dinheiro e a distribuir as esmolas aos indigentes? E tudo isto com o óbvio acórdão de Jesus. Quando este último lhe diz: Vai e faz o que tens de fazer, não está o próprio Cristo a ordenar-lhe/lembrar-lhe qual é a sua ingrata missão? As Igrejas dizem: Tudo estava nos planos do Pai. Assim sendo, se ele cumpria o plano Divino como pode ter sido um traidor? Quando muito seria uma marioneta nos fios tecidos do espaço/tempo da Divindade. Hoje, expressões como:És um Judas (um traidor)! ou Don't you Judas me! (em inglês: Não me traias!).
Pela minha parte confesso que sempre considerei Judas Iscariotes como um Apóstolo como os outros ou até mais importante. De todos, é o único a não ser chamado Santo, é apenas o Judas, o vil, o traidor, o que nem merecia ter nascido, etc.
De repente surge um testemunho de que Judas seria um grande amigo e confidente de Jesus, e por isso alguém que nunca mereceu este tratamento histórico. Sabemos que não será este documento ou qualquer outro que irá mudar o que está enraízado há quase 2000 anos. Judas Iscariotes será sempre o que não presta mesmo que a Igreja o recuperasse (o que por certo nunca fará).
A título de exemplo veja-se a actual oração do Pai Nosso (coitadinha, tão adulterada do original que se encontra em Jerusalém e que se inicia com: Pai, Mãe...). Esta oração, a mais importante no catolicismo romano foi alterada aquando do Concílio Vaticano II (convocado pelo Papa João XXIII e terminado durante o pontificado do Papa Paulo VI). A alteração incidiu na frase: ...E não nos deixes cair em tentação... que passou a ...E não nos submetas à tentação.... Alguém tem conhecimento de alguma vez ter ouvido um padre durante uma missa falar desta alteração? Claro que não! Há que manter o
status quo, fazer o menos ondas possível para que o lodo não apareça à superfície. Para mim, com manuscritos ou sem eles, o Santo Judas Iscariotes permanecerá desta forma para sempre.
A facilidade com que o Ser Humano separa o trigo do joio, ou seja, como consegue ver apenas o que lhe interessa no outro que são por norma as qualidades negativas. O que de bom o outro tenha ficará sempre encoberto num véu de circunstância, num plano secundário. Faça-se algo de bom e durará pouco nas memórias; algo de mau durará nelas para sempre. Isto também tem a ver com o facto de nós, individualmente não nos conseguirmos avaliar a 100%, utilize-se que método se utilizar, há sempre algo que de nós que nos fica inacessível. Talvez seja a nossa auto-capacidade de análise que bloqueia por um qualquer sentido defensivo. Claro que a meditação, a regressão ao passado são técnicas que nos podem ajudar muito, mas também elas são do humano, logo, são limitadas.
Celebro este vir a público de um documento histórico tão importante e a minha esperança é que algo mude, pelo menos nos ateus e em quem não se insere no grupo dos fundamentalistas Cristãos.

9 Comentários:

  • Mais um artigo extremamente bem escrito, completamente de acordo!

    Votos de boa Páscoa!

    Dexei-lhe um desafio no meu blog, esteja á vontade, não se sinta obrigado...

    Abraço!

    By Blogger RCataluna, at abril 13, 2006 10:16 da tarde  

  • A forma como a sociedade tem visto Judas até há bem pouco tempo não foi uma escolha mas sim algo que lhe foi imposto.
    O problema da igreja é tentar esconder informação, fazer manobras de forma a iludir... Quem separa o trigo do joio não são as pessoas comuns mas sim uma das maiores empresas do mundo "A Santa Igreja".
    Em relação à parte em que referes
    "Quem se lembraria de Jesus Cristo se não fosse a sua entrega, o seu sacrifício ao morrer na cruz..."

    eu escreveria antes:
    Quem se lembraria de Jesus Cristo se não fossem as trafulhices, assassinatos e todo o tipo de crimes que foram efectuados por aqueles que criaram a igreja de hoje?

    By Blogger Trequita, at abril 16, 2006 5:52 da tarde  

  • Muito obrigada rcataluna. Confesso não gostar muito de desafios, mas nunca deixo de ir ao teu Blog. Um abraço.

    By Blogger Abade.anacleto, at abril 18, 2006 5:15 da tarde  

  • Sim, mas efectivamente ele sofreu os efeitos de uma imposição e nunca de uma escolha, Trequita.
    Todas as Igrejas escondem informação, claro que nesse aspecto ninguém vence a Católica Romana. O trigo tem de ser separado do joio pelos crentes, senão ficamos como Judas, sujeitos a imposições que só se aguentam se não pensarmos sobre elas.
    Discordo de ti na última parte. As pessoas não se lembram de Cristo devido às trafulhices, assassinatos, etc. Lembram-se porque de acordo com a história, ele morreu na cruz, foi martirizado.
    Gosto sempre dos teus comentários.

    By Blogger Abade.anacleto, at abril 18, 2006 5:19 da tarde  

  • JUDAS ERA O PAI DO CRISTO

    By Anonymous Anónimo, at maio 19, 2006 12:36 da tarde  

  • Ola meu querido nem sei se vc vai ler isso.
    mas isto que vc escreveu, só mostra que vc ñ conhece nada de biblia, e nem do plano de salvação divino, e nem das escrituras originais.
    quanto ao rumo de Judas Iscariotes, eu ñ posso definir.
    Mas a palavra de DEUS dis que os suicidas ñ erdaram o reino de Deus.

    By Blogger Mila Mokapalt, at julho 07, 2009 10:48 da tarde  

  • bom comeco

    By Anonymous Anónimo, at novembro 20, 2009 6:16 da manhã  

  • olá, bela matéria
    já notou q na igreja católica gosta de pessoas q são usadas como bodes expiatórios (Lúcifer é um deles). O catolicismo é movido pelo medo, disfarçado de amor.

    By Blogger yami karasu, at janeiro 23, 2011 6:04 da manhã  

  • APESAR DE TER TRAÍDO JESUS, JUDAS ISCARIOTES ARREPENDEU-SE QUANDO DEVOLVEU AS MOEDAS AOS SACERDOTES ATIRANDO-AS NO TEMPLO. COMO NÃO BASTASSE, O REMORSO FEZ COM QUE ELE COMETESSE O SUICÍDIO. SE A IGREJA PREGA O PERDÃO E A MISERICÓRDIA, NÃO DEVE INCENTIVAR A QUEIMA DE JUDAS NO SÁBADO DE ALELUIA. TEMOS QUE POR UM FIM A ESTA TRADIÇÃO INJUSTA QUE SÓ INCENTIVA A VIOLÊNCIA E A VINGANÇA. AFINAL DE CONTAS JUDAS FOI UM INSTRUMENTO NO CUMPRIMENTO DAS ESCRITURAS PELA PROFECIA DE JEREMIAS. CONFORME ESTAVA PREVISTO PELO SENHOR, SÃO PEDRO TAMBÉM NEGOU JESUS POR 3 VEZES, E PORTANTO NÃO PODE SER ENTENDIDO COMO COVARDE, POIS CASO ASSUMISSE CONHECÊ-LO, TERIA SIDO DECAPITADO E NÃO TERIA DADO CONTINUIDADE A NOSSA EVANGELIZAÇÃO.

    By Anonymous NOÉ, at agosto 22, 2012 2:28 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home


 
Free Web Site Counter
Free Counter